Você já deve ter lido uma dezena de textos falando sobre o que é o bullet journal e como ele pode fazer maravilhas pela organização do seu tempo, mas agora fica a pergunta: por onde começar?

Saber como fazer seu bullet journal é importante para definir quais passos dar em seguida — o que inclui a escolha das melhores ferramentas e do formato para páginas mensais, semanais e diárias, por exemplo.

A seguir, listei 4 dicas de como dar início ao seu bullet journal e tirar o máximo de benefício desse método de organização. Vamos lá?

1 – Escolha um bom caderno

É verdade que dá para fazer o bullet journal em qualquer caderno — eu comecei a fazer o meu primeiro BuJo num caderno pautado que já tinha em casa, apenas para testar o método e ter certeza de que ele funcionaria para mim. No entanto, alguns cadernos são melhores do que outros, dependendo da sua preferência.

Se o seu BuJo terá uma cara mais criativa, um caderno sem pauta pode ser interessante, pela liberdade de poder ocupar as páginas sem seguir uma direção específica, podendo incluir desenhos e colagens a qualquer momento.

Por outro lado, se o objetivo principal é a organização, um caderno de folhas pontadas é a opção mais adequada, porque garante que sua escrita ficará alinhada e as páginas terão uma aparência mais harmoniosa e clean.

Sobre cadernos pautados: não sou particularmente favorável a usa-los para o BuJo, principalmente por causa do espaço entre as linhas, que atrapalha a criação das páginas mensais, por exemplo. Virei fã de carteirinha dos pontilhados e não consigo me imaginar usando outro tipo de caderno para fazer meu bullet journal.

2 – Decida qual sistema de anotações utilizar

A beleza do bullet journal é poder escolher não só a disposição das páginas e como você vai utiliza-las, mas também que sistema de anotação você vai usar para classificar seus compromissos e tarefas.

O sistema original, criado pelo Ryder Carroll, sugere o uso de pontos, círculos e traços para tarefas, eventos e anotações, respectivamente. Tudo o que for cancelado leva um “X”, e eventos e tarefas migradas ganham um sinal de > quando são adiadas para o dia seguinte ou de < se forem transferidas para as páginas do futuro.

Eu uso o sistema de caixas, como no exemplo abaixo:

000099
Meu sistema de símbolos, ou “keys”. Crédito: Juliana Alvim/BuJo Store.

Independentemente de qual sistema preferir, escolher um conjunto de símbolos é a primeira etapa da criação de um novo bullet journal. Sem isso, ficará mais difícil organizar as próximas páginas do seu BuJo.

3 – Escolha o melhor layout para o seu perfil

Um bullet journal pode ter páginas mensais, semanais e diárias, que, por sua vez, podem ter diferentes formatos. As páginas mensais podem ser montadas em formato de calendário, com caixinhas para cada dia, ou como uma lista corrida dos dias do mês, por exemplo.

Por ser um sistema livre e flexível, cada pessoa escolhe um formato de página que melhor se encaixe em seu perfil. Se você tem poucos compromissos diários, manter apenas as páginas mensais e semanais pode ser uma boa decisão. Assim, você ganhará espaço para criar outros tipos de página no seu BuJo.

Por outro lado, se você pretende usar seu bullet journal como uma agenda-diário, vale a pena manter também as páginas diárias, nas quais você poderá não só incluir seus compromissos e tarefas de cada dia, mas também seus pensamentos e impressões. A escolha é sua. 🙂

000100.JPG
Um dos meus spreads semanais preferidos. Minimalista, prático, fácil de fazer e de usar. Crédito: Juliana Alvim/BuJo Store.

4 – Canetas fazem toda a diferença

É claro que é possível começar um bullet journal com uma caneta esferográfica. No entanto, as páginas de cadernos em formato journal tendem a ter uma textura que se beneficia mais de canetas tipo nanquim, com ponta de feltro, que não marcam o papel e não “sangram”, ou seja, sua tinta não transfere para o verso da página.

000102.JPG
Caneta nanquim, caneta pincel, giz de cera, colagens… Tudo para deixar o BuJo mais bonito, mas sem perder a praticidade. Crédito: Juliana Alvim/BuJo Store.

Se você prefere ter um BuJo mais colorido, experimente utilizar giz de cera, lápis de cor ou canetas artísticas, do tipo pincel, que não mancham o papel. Canetas hidrográficas comuns, além de mancharem, também podem causar desgaste e até rasgos nas páginas do seu bullet journal.

Com essas dicas, você já pode colocar toda a sua criatividade para fora e criar um bullet journal único, que terá a sua cara. Mãos à obra! 🙂

Por Juliana Alvim, criadora da BuJo Store.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s